quarta-feira, 21 de julho de 2010

MEDO E CORAGEM

Sentir medo faz parte do humano. Evolutivamente se constituiu como proteção diante dos desafios para a sobrevivência. Porém o medo desmedido, não reconhecido, pode ser altamente desagregador nas relações de convivência, com os ambientes e com as pessoas. Todos os humanos sentem medo. Diante do novo, do não conhecido, do desafiante, é absolutamente natural que este sentimento se manifeste. Porém o discernimento, a atenção, a pausa, permitem o reconhecimento da situação ameaçadora para viabilizar uma resposta mais adequada e mais agregadora.A coragem caminha ao lado do medo, quando ela é fruto da compreensão.Se disponibilizar a compreender os acontecimentos, as situações, os ambientes, as pessoas, as relações já é por si só um ato de coragem, completamente diferente do ato heróico. Ser corajoso é ser humilde o bastante para se conectar com o mais profundo de si e deliberadamente oferecer o melhor de si,vazio de toda prepotência. Aquele que não tem medo é tolo. A verdadeira coragem advém do reconhecer o medo e agir responsavelmente sobre ele nos acontecimentos.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário