quarta-feira, 25 de maio de 2011

FRAGILIDADES

Viver é também conviver com os paradoxos da vida. Quem sabe a vida se sustente nestes milhões de anos exatamente porque pardoxos fazem parte de um processo dinâmico na direção do equilíbrio. O desafio é reconhecer, conhecer e estar nas contradições sem perder a elegância e a dignidade. Medo todos nós temos, assim como desesperadamente queremos confiar. Somos amantes mas às vezes emana o desamor. Penso que, para evidenciar o melhor e o maior em cada um de nós, talvez tenhamos primeiro que reconhecer a nossa fragilidade para podermos nos apropriar da nossa plenitude. Frágeis somos todos, porém fortes também o somos. A questão é o equilíbrio. Se negamos a fragilidade não teremos como viver a força da potência vital. Fragilidade e potêncialidade andam juntas, assim como medo e auto-confiança. São opostos que se complementam. A luz é luz porque existe a sombra que permite reconhecer a luminosidade. Poder dizer da fragilidade pessoal permite conhecê-la e usá-la de forma construtiva a favor da nossa maturidade existencial.
Abraços ****

Nenhum comentário:

Postar um comentário