segunda-feira, 9 de maio de 2011

O MEDO SER ÍNTIMO DE SI

O medo paralisa. O medo é criado pelas ilusões mentais, sendo muitas vezes inexistente na factualidade. Sem existência na realidade, o medo é uma criação provocadora de ilusões, que geram incertezas e que por sua vez levam ao apego. O apego gera o medo da perda, seja perder concretamente um objeto, uma idéia, um padrão de comportamento e/ou pensamente, uma forma de ser. A zona de conforto oferece uma falsa sensação de segurança e para sair dela, efetuando mudanças, há que desapegar-se e aqui o medo se manifesta gerando mais insegurança e incertezas, e portanto mais ilusões. Este cenário requer muito cuidado,cautela, pois um olhar em profundidade pode revelar que o grande medo é simplesmente o medo de aproximar de si mesmo,o medo de ver claramente os jogos e mecanismos que tem sido utilizados para sustentação da insegurança diante do insuportável. Porém, se houver a possibilidade de ultrapassar estas barreiras, certamente será possível fazer contato com a clara luz que brota naturalmente de um espaço interno, onde a palavra não consegue explicar mas, o coração pode sentir e reconhecer e o cérebro transformar seus mapas e suas químicas.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário