quarta-feira, 28 de setembro de 2011

AMOR E ÓDIO

Interessante é notar que, quando o verdadeiro amor reina em nosso coração, o ódio e a raiva não se manifestam. Da mesma forma quando a raiva toma conta do nosso ser, o amor não tem como se expressar. Duas emoções que não conseguem ocupar o mesmo espaço conjuntamente. Emoções intensas que se opõem, são contrárias em si mesmas. Então, quem sabe se cultivarmos com perseverança a amorosidade, a cordialidade, a gentileza, a felicidade genuína, de tal forma que ocupem o nosso coração, permeando em todas as nossas células, no gesto, no olhar, na voz, nos pensamentos, o ódio, a raiva, o ressentimento, a retaliação, não encontrarão espaço para se manifestarem. Com este propósito sincero, teremos a possibilidade de, ao longo do tempo, pela prática, irmos desfazendo as emoções destruidoras para irmos consolidando as emoções construtivas e vivificadoras da vida. Digo isto por experiência própria e também por acompanhar inúmeras pessoas, que ao longo de suas vidas conseguem transformar verdadeiramente as emoções destrutivas, fortalecendo pelo cultivo, pela prática determinada, as emoções engrandecedoras da pessoa humana, afinal a nossa mente é pura luminosidade e bem aventurança. Experimente, tenha a coragem de ser sincero e verdadeiro consigo mesmo, de ser compassivo, de viver dignamente a felicidade genuína em toda a sua plenitude.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário