quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O HUMANO MERCANTILIZADO

O capitalismo instaurou o reino da mercadoria. Transformou a força de trabalho humano em mercadoria. É um sistema que tem coisificado as pessoas e personificado as coisas. Nada que é humano tem escapado da ditadura das finanças, onde tudo é feito em função do lucro e o ser humano tem sido vítima do abuso estrutural deste sistema, através das fobias e do cinismo dominante. Onde estará a saída deste drama de lucro máximo a curto prazo? Haverá saída? Talvez não possamos pensar em uma saída apenas, mas ampliar a perspectiva em ações articuladas conjuntamente, considerando tanto as causas ecológicas como a causa antropológica. Efetivar ações de engajamento em todos os níveis das redes sociais, nas diversas formas inovadoras de iniciativas e organizações, incitando a criatividade e as invenções, aliando a mais realista consciência do possível à mais ambiciosa visão do necessário, sempre no sentido de salvaguardar o ser humano e a vida. Sair do conformismo alienante e fundamentalista, para abrir espaços que considerem as possibilidades de uma justiça que dignifique tanto o meio ambiente como o gênero humano, afinal são eles indissociáveis, apostando e pavimentando caminhos sólidos, partindo da descivilização para a indignação através de ações transformadoras e inclusivas.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário