sexta-feira, 1 de junho de 2012

ENCONTROS COM A VIDA

Embora vivos e viventes, vivendo o pulso vital, nem sempre acessamos a potência desta vida, em nosso corpo e no macro organismo chamado planeta Terra. Embora a expressão da vida seja o natural, trazer à consciência a magnitude da vida em nós, muitas vezes gera um certo estranhamento. A história e a cultura que privilegiou a razão, ao longo dos últimos séculos, gerou um distanciamento da potência vital do ser humano na direção do seu desempoderamento. O conhecimento apenas pela razão, contribui para uma ruptura com o encontro do humano com a sua vitalidade, com as forças da vida, impedindo-o de se direcionar no sentido da vida. Um sujeito derivado da racionalização se torna sujeito nas relações de poder, submetendo-se e sujeitando-se aos arranjos do COMO as sociedades se organizam. Restaurar o Homem livre, restaurar o Humano livre é viabilizar, oportunizar o encontro da pessoa humana com a vida, com a sua vida, com o seu corpo-afeto, dentro do todo maior. O homem livre é senhor de sua liberdade, conquistada não apenas pela via racional, mas pela experiência de si vivo, na vida. Esta é uma prática existencial. Uma prática de cuidado de si, como componente essencial de sua existência para se ligar à sua potência, sem dissociações entre o dizer e o sentir, podendo acessar as suas experiências sensíveis, no dizer verdadeiro. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário