quarta-feira, 20 de junho de 2012

TATO E CONTATO

Todo ser humano vivo necessita ser reconhecido como humano. O reconhecimento nos é dado a partir do outro, é o outro que me reconhece como humano e é partir deste reconhecimento que eu me sinto digno da minha humanidade. Sentir-se digno de ser um ser humano vitalizado e potente, é fruto de um contato consigo mesmo, um processo contínuo de auto-reconhecimento de si. Estar no corpo, ser um corpo, sentir-se digno de pertencer a uma humanidade e a uma história pessoal, habitar-se como sujeito único, é sentir-se vestido em uma pele, é apoderar-se de si com todos os outros seres vivos, incluindo todas as diferenças. O tato e o contato consigo mesmo, é um dos caminhos do empoderamento. A pele é como uma vestimenta, um envelope que me contem. O tato é uma fonte rica de potencialidades. Pelo tato e pelo contato podemos encontrar nossa dignidade a partir da percepção, estabelecendo um diálogo singular e amoroso entre a própriocepção, a interocepção e a exterocepção. São camadas de si em conversam, se criam e se recriam. Tato e contato, são dois elementos vitais na percepção de si, na emocionalidade, na consciência de ser um ser humano pleno de si mesmo e digno neste universo. Ter a coragem de estimular o tato para o contato, é ampliar a percepção de si e do mundo, é interagir com toda uma história ancestral e evolucionária. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário