sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O CORPO E A MÁQUINA

Há pessoas que usam o seu corpo como se ele fosse uma verdadeira máquina. Usam e abusam, subjugam o corpo na sua funcionalidade. Impõe sobre ele metas a serem alcançadas. Pela total falta de percepção e conexão corporal, entendem o seu corpo como sendo um monte de músculos e ossos desconectados. Equivocadamente não conseguem sentir, perceber e compreender que nós não temos um corpo, mas somos um corpo e o corpo sou eu. Não compreendem que o corpo humano não é uma máquina, que está disponível para servir aos nossos prazeres, mas que nós humanos, habitando e vivendo em um corpo, somos a própria expressão do universo, da misteriosa dádiva da vida que em mim encontra sua expressão. O nosso corpo tem limitações, sentimentos, se comunica, pensa, tem consciência,se transforma. Explorar o corpo é adoece-lo.Infelizmente existem por aí muitos doentes de si mesmo, que negam inconscientemente a si e a vida em si. Querendo ser feliz, buscando a qualquer custo a felicidade, idealizam e se auto-flagelam. O corpo humano vivo é a manifestação da sacralidade misteriosa da vida.É aqui, na interioridade do nosso ser que o divino se revela, onde podemos encontrar conforto e contentamento, alegria e redenção, beatitude, paz e todas as respostas para nossas inquietações.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário