quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

PAUSA PARA A AÇÃO

De maneira geral estamos sempre no fazer, na ação, mas nem sempre sabemos o que realmente estamos fazendo, o por que e o para que da ação. Agimos automaticamente sem perceber o que fazemos. Somente quando nos deparamos com as consequências da ação é que paramos para pensar. Com grande frequência não valorizamos a espera, a pausa para o agir com efetividade. Toda ação deveria preceder uma pausa, porém como não aprendemos a pausar e somos intensamente cobrados para o agir, acabamos fazendo sem pensar, agindo no piloto automático, no condicionamento. O agir no impulso perde funcionalidade, afinal estamos imersos num mundo altamente acelerado e de altíssima complexidade, onde tudo se transforma rápidamente e portanto se as ações não estiverem voltadas para esta realidade, certamente estaremos perdendo energia, perdendo potência , estaremos no desgaste, gerando em nós grande frustração e incompetência.O processo que une a espera com a ação é incessante. Estamos grávidos de nós mesmos e do mundo, portanto precisamos saber esperar na presença, para poder realizar com maturidade e adequação. Pense nisto!
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário