terça-feira, 1 de março de 2011

QUANDO O PRESENTE É INSUPORTÁVEL

Algumas pessoas, ao longo da sua particular história, precisou selecionar formas desagregadoras para suportar o meio e continuar vivendo. Ocorre que a medida que as histórias mudam, dentro do natural processo de desenvolvimento, estas formas somáticas que foram funcionais em determinadas circunstâncias, acabam por se tornarem altamente desagregadoras e mais deletérias, para a pessoa em si e sobretudo para os que estão em seu entorno. São as chamadas formas defensivas, que se expressam na rigidez dos gestos, nas falas e narrativas, no tom de voz, no olhar, gerando afastamento e não conectividade, pois são expressões de violência. Todas estas formas defensivas, são maneiras de não estar no presente, porque o presente se torna insuportável. Estar no presente é aprendizado para uma vida inteira, que vai se formando e se construindo. O triste é que as pessoas portadoras destas formas defensivas, não tem consciência dos "estragos relacionais" que vai cometendo pelo caminho, gerando respostas também desagregadoras. Como sair deste círculo vicioso? A boa notícia é que tem saída, mas é preciso que o cidadão queira, afinal se estiver vivo, estará pulsando.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário