sexta-feira, 27 de maio de 2011

RESIGNAÇÃO E ACEITAÇÃO

Resignar é diferente de aceitar, embora possam ser ações que aparentem ser semelhantes, requer atenção e reflexão para não serem confundidas. Resignação é um sentimento que justifica o abandono daquilo pelo qual vale a pena depositar esforço para efetuar mudanças, o que de certo modo é um sentimento de indignidade. A aceitação pelo contrário, diz respeito a um sentimento de respeito pela vontade do outro, fruto da compreensão, desde que a vontade do outro não tenha como consequências o comprometimento da vida como valor. Resignar-se é covardia. Aceitar requer reflexão para compreensão. A resignação nasce do medo, da intimidação, da acomodação, do conformismo da superficialidade, da preguiça. Aceitar demanda esforço sustentado no respeito, na atenção, com atitude de acompanhar compreendendo, esperando a oportunidade favorável para agir na preservação dos valores que sustentam relações salutares. Será que temos conseguido reconhecer este fio tênue que distingue quando estamos na resignação covarde, de quando aceitamos respeitando e incluindo?
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário