quinta-feira, 6 de outubro de 2011

CORAÇÃO DE SENSIBILIDADE

Todo ser humano vivo em todos os tempos, em todos os territórios e culturas, buscaram e buscam a felicidade, se afastando do sofrimento. Esta é quase uma ordem vital. Porém, não é isto que temos presenciado em nosso entorno, em nossas relações e em nossa casa comum. Penso que este estado reativo, repteliano, impulsivo, de responder ao mundo de forma violenta é fruto de culturas que escolheram a violência como um meio para resolver suas diferenças. O século XX é tido como o século onde mais seres humanos foram mortos em guerras de todas as ordens. Se todos queremos a felicidade e não o sofrimento, então por quê chegamos neste cenário? Não existe uma única resposta, são muitos os fatores. Acredito que o mais importante é desfazer este cenário bélico e para isto precisamos sensibilizar nossos corações. A violência só poderá terminar, quando o coração definitivamente parar de combater. Então, teremos que conclamar todos os nossos esforços para que juntos, possamos desfazer este lugar combatente que ainda existe em nosso coração. Adoçar o coração não é ser romântico mas é ter a coragem de assumir verdadeiramente um lugar determinado de responder ao mundo, apesar de todos os desafios, de forma não-violenta, com bom senso, atenção, discernimento e amorosidade. Afinal, é isto que todas as tradições religiosas tem enfatizado. Precisamos sim, agir mais e discursar menos. Desarmar o corpo e alma.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário