segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A IGNORÂNCIA QUE OFUSCA E CEGA

Tomadas pela força da ilusão, as pessoas criam "falsas verdades" para si mesmas, imaginando que o dinheiro compra felicidade e saúde. Engano total. Estes produtos não estão disponíveis nas prateleiras de lojas nem nas telas virtuais, mas dentro do mais íntimo da pessoa. Na cegueira preguiçosa da zona de conforto, escolhe-se ingerir gotas e pílulas ao invés de pausar, refletir e se conectar com o interior de si mesmo. Ocorre que, este lugar interno exige esforço pessoal, transparência, honestidade, boa vontade, humildade, para reconhecer-se, fazer contato com padrões que obstaculizam o fluir da vida. No ofuscamento cego da ignorância, opta-se pela facilidade do imediatismo e do instantâneo, sem querer saber de si mesmo e suas reais necessidades, recusando-se a parar para ouvir, ver, sentir, escondendo-se de si em seu próprio corpo. Os padrões mentais e a profunda resistência em reconhece-los gerada pela pura ignorância, traz mais infelicidade, com todas as consequências somáticas que comprometem a saúde do corpo, da mente e do "coração". Estar atento às estas formas somáticas e existenciais é de fundamental importância para a maturidade pessoal e relacional, afinal a ignorância contagia, contamina e compromete pessoas e os espaços relacionais de nossa convivência. Reconhecer padrões que impedem a maturidade e reverte-los em potencial vivo altruísticamente para si e para os outros à sua volta, é optar pela felicidade pela qualidade saudável e sustentável da vida. É fazer corpo com mais potência, é dignificar-se.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário