terça-feira, 22 de novembro de 2011

TRUCULÊNCIA OU COERÊNCIA

Diante de tantas mudanças no conviver, na diversidade dos arranjos relacionais, a educação tem absorvido uma grande quantidade de incertezas. A sociedade em geral tem cobrado dos educadores respostas mais efetivas frente aos comportamentos desagregadores, responsabilizando-os pelos desajustes e impedimentos na comunicação entre as gerações e os diferentes grupos sociais. Realmente, a educação é de altíssima relevância para a sustentação das relações sociais e a garantia do equilíbrio social e ambiental. Contudo, a responsabilidade educacional não pode recair apenas sobre a educação formal, entendendo que deveríamos ampliar o âmbito de atuação em que todos os cidadãos se responsabilizem por esta tarefa que exige um olhar mais refinado, ampliado e focado. Educação é coerência e não truculência. A força controladora e repressiva da truculência, constrói ambientes onde o desrespeito impera. Toda a ação violenta recebe uma resposta de violência. Se a relação de autoridade mudou nos cenários relacionais, é necessário encontrar dispositivos internos que possam sustentar lugares onde a coerência, o bom senso, o discernimento, o diálogo transparente e honesto, sejam a referência. Entender que a força bruta deseduca, requer uma mudança de paradigma. Contudo, para ser coerente com o outro tenho que ser coerente comigo mesmo, assim a educação começa com a auto-educação.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário