segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

ENDIVIDAR TRABALHAR CONSUMIR .....

Estamos imersos em um mundo onde o valor das aparências está em alta total. O importante é ter "boa aparência", a "aparência diz tudo", a "primeira impressão é a que fica".... São muitos os verbetes que empurram o consumidor a consumir mais para aparentar mais, não importando o tamanho da dívida que ele consumidor, faz para sustentar as aparências. O fato é que estamos imersos em uma cultura onde o que importa é, como uma pessoa se apresenta: sua roupa, seus adereços, sua posiçao social, "você sabe com quem está falando", seu carro e vai por aí... Fato é que, neste cenário, para seguir o script o que fazemos é consumir para aparecer. Porém, consumir é assumir compromissos financeiros, então como pagar? Presos na armadilha capitalista de mercado, as pessoas usam o seu bem mais precioso que é o tempo para trabalhar, consumir, endividar e não saímos desta roda que quer girar a qualquer custo. Aqui colocamos o valor das aparências acima do valor da vida, das relações, do cuidado de si, da saúde, da qualidade com que fazemos o que fazemos, sobretudo no tempo dedicado a nós mesmos e aos outros, à nossa família e amigos. Porém , para mudar o horizonte de nossas decisões e escolhas é preciso coragem e disciplina. Sem estes dois elementos não há mudança, aliás nenhuma mudança verdadeira. Para mudar e sair deste círculo vicioso é preciso ter a coragem para entrar em contato com a nossa própria vontade e saber afinal o que queremos e em que medida queremos, o que tem valor verdadeiro e genuíno para mim. São questões que pedem clareza interna, sem as quais continuaremos capturados pela ilusão da inclusão, endividando-se, trabalhando e consumindo cada vez mais, porém com um item a mais na lista da superficialidade que é frustração, o ressentimento, a impotência, a exclusão de si mesmo. Pequenos momentos de prazer, para muitos momentos de decepção com o mundo e consigo mesmo. Difícil aqui é reconhecer honestamente a armadilha que estamos caindo... Uma pergunta: tem saída esta armadilha? Sim, basta apenas querer.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário