quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

MOVER E COMOVER

Vida é movimento. Como sabemos que uma pessoa está viva? Quando há movimento, o coração bate. O movimento é fonte da vida. Contudo, para uma pessoa fazer contato consigo mesma, se reconhecer, entrar em conexão consigo e com o o seu entorno, é necessário algo que crie um movimento interno para que este contato aconteça. Mobilizar. Mover. Mas o que nos move? O que cria movimento interno? Sabemos o poder das emoções. Quando nos emocionamos algo muda internamente. As emoções são respostas somáticas, é o sistema límbico respondendo através de músculos, fácias, órgãos, metabolismo, secreções, através de toda rede neural. Então o que nos comove? O que toca a nossa subjetividade, o que toca a nossa alma. Para mover há que comover. Comover é mover junto, onde todo o sistema somático se mobiliza para fazer contato e estabelecer conexões, pulsar de volta. Ao longo da nossa existência, se olharmos com clareza certamente iremos notar que os períodos de mudança em nossa vida, foram marcados por acontecimentos, situações, com grande significado ao ponto de mobilizarem as transformações. Aqui não podemos desprezar a força do conflito. Todo conflito possui em si mesmo a força mobilizadora das emoções, que de alguma forma nos faz conectar com aquilo que queremos ou não queremos para a nossa vida. Se pudermos ser honestos e verdadeiros conosco, saberemos aproveitar a força propulsora das emoções geradas nos momentos conflitantes de nossa vida e fazermos as verdadeiras mudanças em nossa existência. Afinal, todos buscamos a felicidade, o sentido da plena realização do grande potencial que todo ser humano possui em si mesmo. Para mover há que comover. Comover é mover junto com discernimento, alegria,boa vontade, gentileza, respeito e muito amor.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário