quinta-feira, 15 de março de 2012

UM MUNDO SEM OUTRO

A tecnologia invadiu nossas vidas, nossas intimidades, nossos espaços e nosso tempo, nossa imaginação. Tudo vem quase pronto e formatado, instantâneo. Imagens formatadas nos aplicativos impedem os verdadeiros encontros. Onde está o diálogo? A conversa? O olhar e o ouvir? Onde ficou o simples perceber dos gestos, das vozes que, nos encontros podíamos imaginar no pensamento empático quem seria este Outro, um misto de aproximação e certo distanciamento, o mistério que cada ser humano traz dentro si mesmo. São as máquinas que realizam performances, que hipnotizam as crianças e adolescentes diante das telas, quase que obrigando-as ao empanturramento de gorduras e doces, fazendo-os obesos compulsivos. Estamos diante de um grande avanço técnico mas igualmente de um embotamento afetivo, onde cresce a solidão e fenece a criatividade. Esvaziados de conexão, o vínculo empobrece e a perversidade ganha espaço. "O mundo perverso é um mundo sem outro, portanto um mundo sem possíveis..." Deleuze na sua obra a Lógica do Sentido, traz esta reflexão completamente atual.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário