quarta-feira, 14 de março de 2012

HISTÓRIA E DESTINO

Linearmente pensando, há quem acredite que "pau que nasce torto morre torto", ou seja a imutabilidade como uma regra ou diretriz do viver e das relações. Contudo, não é esta a configuração que a natureza e tudo quanto é vivo neste universo apresenta. O vivo está em permanente mudança, portanto uma história não é um destino. A possibilidade de mudança, restauração, transformação, faz parte do viver e de todas as relações e relacionamentos. A resiliência existe e através da sua força transformadora, uma história de vida poder ser alterada. Embora que, uma certa pessoa em um certo momento de sua vida tenha cometido um ato de violência, não significa que ela não tenha a possibilidade de regeneração, basta apenas vontade e oportunidade. Embora que, uma pessoa tenha sofrido a dor de um ato violento, não significa que ela não tenha a possibilidade de recuperação deste sofrimento, basta apenas vontade e oportunidade. Se nada é estático e a vida é dinâmica, porque é viva, o potencial resilente da regeneração está sempre presente. A resiliência é algo que tem feito sentido em nossas relações institucionais, sobretudo no plano educacional, jurídico e da saúde. Fortalecer este conceito é nosso dever cidadão, evidenciando que uma história não é um destino e o conflito, é uma oportunidade transformativa e formativa.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário