quinta-feira, 17 de maio de 2012

DESCULPAS PARA A PREGUIÇA

Identificar e reconhecer os estados mentais e emocionais, não tem se mostrado uma tarefa fácil para o ser humano. Embora que tenhamos conquistado evolutivamente tantos avanços nos processos mentais, ainda temos uma grande dificuldade em lidar com as nossas emoções. No mais das vezes, a lógica da racionalidade chega na frente e o pensamento articula em suas narrativas sequências muito bem ordenadas para justificar algumas atitudes, condutas e até pensamentos considerados inadequados para uma pessoa polida. A preguiça, como um dos estados mentais, aparece no cenário mental e corporal impedindo o avanço maturacional a partir da liberdade de escolha, abortando oportunidades que poderiam ser de grande valor. A entrada nas chamadas “zonas de conforto”, se mostra tão atrativa que paralisa e congela comportamentos que poderiam favorecer o crescimento pessoal. Quantas oportunidades de vivenciar experiências enriquecedoras e transformativas para a vida, são perdidas por absoluta preguiça. Diante deste estado emocional, para se justificar no tribunal da interioridade, as pessoas arrumam desculpas e mais desculpas para justificar para si e para o mundo a sua preguiça. Impedidas de construir uma narrativa de reconhecimento da preguiça mental e somática, elas são capturadas pela total ausência de responsabilidade e respeito por si mesmas e pelo mundo, se deixando serem levadas pelo turbilhão de palavras e pensamentos vazios, apenas para não se comprometerem com uma realização que poderia acrescentar algo relevante em suas vidas. Outrossim, é necessário considerar a qualidade da escolha , a qualidade daquilo que se apresenta para uma opção, mas seria bem mais honesto expressar o estado mental e emocional verdadeiro do que perder energia arrumando desculpas sem sentido algum. A preguiça existe em todos os humanos, até os animais muitas vezes se mostram preguiçosos, existe até o Bicho Preguiça, mas a pessoa humana portadora de consciência e bom senso, talvez pudesse encontrar caminhos mais criativos, mais potentes e mais honestos para lidar com este estado mental e emocional. Honestamente, podemos reconhecer que as desculpas servem para esconder a nossa preguiça. Cuidado!!! Atenção!!! Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário