quarta-feira, 16 de maio de 2012

AUTONOMIA E AUTOMATISMO

A capacidade de pensar e refletir é uma porta de entrada para a liberdade. Quem não pensa cumpre tarefas e fica capturado pelos automatismos dos condicionamentos. Optar pela liberdade é escolher a autonomia. Os automatismos geram respostas recorrentes, fruto dos padrões condicionantes que impedem a liberdade, onde a reatividade se manifesta nas ações como espelho, são estas, as ações repetitivas, impulsivas e, portanto impensadas. A autonomia é o lugar onde as ações são escolhidas livremente, pela vontade própria, regida por leis internas. Autônomo, é o sujeito que aciona o discernimento, reflete e se conduz na vida e nos acontecimentos através da ética. Automático, é o sujeito que se sujeita aos padrões de conduta ditados por leis externas e, portanto desvinculado de compromisso e responsabilidade. Ter autonomia é ter responsabilidade e compromisso pelas conseqüências das suas ações. O reativo é irresponsável, projeta no outro e no meio externo a culpabilidade pelos danos causados, ele funciona na conveniência e só enxerga os resultados que lhe oferece vantagens. Pensar e escolher ações criativas e transformadoras requer maturidade, boa vontade, vontade de compreender para fazer melhor, sendo capaz de olhar alto, em perspectiva e ver as diversas possibilidades conectivas. Ter autonomia é se comprometer com o mundo comum, apesar de todos os desmantelamentos. Esta é a dimensão do educador e da educação, no seu sentido mais amplo, que vai muito além da instituição, uma educação ética, uma auto-ética. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário