terça-feira, 5 de junho de 2012

A INJUSTIÇA E O INJUSTO

Optar pela não-violência, é uma escolha alicerçada na coragem destemida. Um dos fundamentos filosóficos da não-violência é que, exercer a violência é uma infelicidade muito maior para aquele que a comete do que para aquele que a sofre. O sujeito violento sabe perfeitamente da maldade por ele cometida, assim como de alguma forma também sabe das suas consequências, embora que possa até argumentar contrariamente. Sócrates, é fiel ao princípio segundo o qual “ nunca é bom ser injusto, nem responder à injustiça com injustiça, nem quando nos fazem mal, vingarmo-nos devolvendo-o”, pois o violento já sofre a violência contida dentro de si mesmo. Aristóteles, reafirmará o mesmo princípio em Ética a Nicómaco: “no fim das contas, escreve ele, cometer a injustiça é mais grave do que sofrê-la: com efeito, o ato injusto está ao mesmo nível da maldade e comporta censura. ... Pelo contrário, a injustiça sofrida não comporta nem maldade nem injustiça”. Do ponto de vista ético, mais vale ser vítima do que carrasco. Abraços **** vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário