sexta-feira, 17 de agosto de 2012

PRONUNCIAMENTOS - CUIDADO NUNCA É DEMAIS


Temos vivido tempos de muita falação, uma polifonia e polilalia. Todos querem falar ao mesmo tempo e ninguém quer escutar. Então, ninguém se entende, incompreensão total. Mesmo não sendo compreendidos e não compreendendo, não somos capazes de parar um instante  de falar para poder ouvir o que o outro tem a nos dizer. Além de não parar de falar, seja por fora ou por dentro, falamos qualquer coisa e as maiores asneiras aparecem, fazendo grandes estragos nas relações. Ninguém se entende mesmo.  Em lugares onde todos falam ao mesmo tempo, ninguém se escuta, então o negócio é falar cada vez mais alto. O volume das vozes se elevam, com ele eleva-se o tom da conversa, que pelo desentendimento vai se tornando mais ácida e na acidez o que sobra é agressão, as mais dissimuladas, que acabam gerando violência, que de início parece “coisa à toa” mas que, com o tempo se torna altamente virulenta e destrutiva. Portanto, cuidado! Nestes ambientes todo cuidado é pouco.  Perder esta mania de ter que falar nem que seja qualquer coisa, é um vício que acarreta desavenças para quem fala e para quem escuta. Então, quem sabe poder considerar que, muitas vezes  é melhor ouvir do que falar. Às vezes, o silêncio fala muito mais alto e diz muito mais. Considerar que, nem sempre é favorável se manifestar diante das asneiras, besteiras, ignorâncias e frivolidades. Há um pensamento muito apropriado: “não se pronuncie a respeito das coisas infrutíferas”, e mais “ o sábio que for capaz de distinguir entre o que é útil e o que não é, jamais se pronunciará através de palavras fúteis”.
Abraços    ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário