sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

NOVO E NOVIDADE

A ânsia desmedida por tudo que é novo e pelas mais diversas novidades que o mercado impõe insistentemente a todos nós, acaba gerando formas de dependência e mais aceleração, que por sua vez aumenta ainda mais os estados de ansiedade. O novo é importante, mas igualmente o existente também é, afinal aprendizagem se faz na repetição. É no repetir que temos a oportunidade de descobrir novas possibilidades do mesmo, é na reedição do existente que aprendemos, quando distinguimos, diferenciamos, onde surgem novas conexões que se tornam novidades pela descoberta. Então a atitude automática, condicionada de estar sempre querendo o novo, pulando de um lado para o outro sem aprofundar e construir raízes, acaba gerando superficialidade que leva à frustração, porque não transforma. A transformação só acontece na diferenciação pela repetição, é no "mais do mesmo", no fazer fazendo, que aprendemos e aí podemos elaborar novas camadas de maturidade de si mesmo. O rápido impede o absorver das coisas e se transforma em consumismo cultural.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário