terça-feira, 3 de janeiro de 2012

VALORES QUE SE TEM

Diante de uma quantidade imensa de propostas, modas e modos, estilos, formas, idéias, novidades, em fim ... de coisas e mais coisas que aparecem a cada dia no cenário da tecnomodernidade, as pessoas se confundem enlouquecidas e vão perdendo a direção nas escolhas a serem feitas. São tantas as "ofertas" dos mais variados produtos, que a indecisão quase passa a ser um modo de habitar os espaços relacionais. Para onde ir, o que fazer, são perguntas que aparecem, mas ao mesmo tempo, são vazias de respostas. Estamos num momento histórico onde o discernimento e o bom senso nunca foi tão necessário, para escolher a direção e realizar ações que sejam verdadeiramente salutares à sustentação da vida neste planeta. Afinal só se respeitam os valores que se têm por verdadeiros, que se acredita serem dignos e confiáveis. Sem esta clareza e força interna, as pessoas se perdem na loucura agitada que confunde e entorpece. Na busca quase desesperada por direcionamento e mergulhadas nesta tremenda confusão, a "droga" do consumo abusivo acaba sendo um meio para suportar tal situação. Ter clareza daquilo que realmente tem valor e por quê, se mostra imperativo para a salutar "sobrevivência" relacional em todos os planos da existência. Então, que valores se tem? Não nos interessa pensar em princípios de "direita" ou de "esquerda", esta lógica tem perdido força na vida relacional, política, ideológica. O que interessa é saber que valores são preservados porque não tem preço, não podem ser absolutamente revogáveis, porque são inegociáveis.
Abraços ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário