terça-feira, 15 de maio de 2012

AGIR E CRIAR

Tendo a biologia como referência, sobreviver é a primeira tarefa do ser humano, como se diz “a luta pela sobrevivência”. Viver e sobreviver, mas com qualidade. Sobreviver é uma parte do processo existencial, pois a tarefa que vem na sequência de um ser dotado de consciência é sustentar e garantir uma vida digna. É na ação que se constrói dignidade. O humano em contato com a vida e com o meio à sua volta, responde aos acontecimentos através da ação, em movimento permanente com o pulso vital. A consciência, o saber de si e do mundo, o estar em si e no mundo, reconhecendo-se digno da sua casa pessoal e da casa coletiva, habitando-se e apropriando-se da potência vital, constrói a trajetória viva em relação com os demais seres vivos, também em constante mutação. Viver é responder ao meio, é no respiro da viva que o ser humano marca sua existência e sobrevivência. No viver da subjetividade, a pessoa humana vai gestando sua consciência e no crescimento pessoal e maturacional, ela pode responder ao mundo através de ações criativas, que trazem o novo, a vida nova, o homem novo. Agir e não reagir, são aspectos diferentes onde subjaz uma escolha pessoal que traz consigo respeito e responsabilidade. Agir criativamente é assumir a corresponsabilidade no processo de interdependência e impermanência da existência. É apostar no novo, considerando a imprevisibilidade, sem abdicar do criativo, é sustentar a vitalidade e a esperança. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário