segunda-feira, 28 de maio de 2012

GERIR VIDA

A relação corpo e mente nos territórios das práticas corporais e terapêuticas, que vieram em ondas do oriente para o ocidente no século XX, foi tema de grandes discussões. As pesquisas da neurociência apresentam com total clareza a ligação corpo-cérebro, afirmando que a grande tarefa de gerir vida, consiste em gerir um corpo e que esta gestão se torna mais precisa graças aos circuitos neuronais que trabalham nesta tarefa, via mensagens químicas ou excitação de músculos. O cérebro tem a capacidade de criar mapas. Ele produz os mapas das estruturas que compõem o corpo, mapeia os estados funcionais que os componentes do corpo assumem. Os mapas cerebrais são a base das imagens mentais e o cérebro como criador de mapas, introduz o corpo como um conteúdo do processo mental. Neste processo, as imagens mapeadas do corpo pelo cérebro, influenciam o próprio corpo em que se originam. Portanto, é possível concluir, ser de fundamental importância a qualidade do contato que o ser humano possui com o seu próprio corpo. A qualidade das imagens que a pessoa humana vai construindo sobre si mesma, o seu esquema corporal, são decisivos para o seu bem-estar-bem, pois conforme a imagem que ela vai formando do seu corpo serão as imagens que ficarão registradas nos seus mapas cerebrais e as respostas neuro-químicas e motoras que virão. A qualidade do gesto, da expressão gestual, da forma como uma pessoa se desloca no espaço, como se auto-maneja e se auto-regula, é de fundamental importância para a qualidade das respostas somáticas e psíquicas que serão apresentadas por este processo complexo, vivo, que é corpo-mente. Cérebro, corpo e imagens, estão inter-relacionados. São componentes que influenciam permanentemente o próprio corpo em que se originam. Movimentos automatizados, distorções perceptivas, empobrecem a consciência. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário