terça-feira, 29 de maio de 2012

GESTOS – UMA CONVERSA LOCOMOTORA

Contactar para entender o sistema locomotor é uma atitude que demanda presença. Sentir-se presente num organismo vivo com qualidades sensório motoras, é fruto da ação focada, de um sujeito que aprendeu a sustentar-se em seus processos psíquicos, relacionais, químicos, afetivos e cognitivos. Evolutivamente, o humano conquistou a postura ereta e com ela a capacidade de se ajustar nas pressões exercidas pela força da gravidade sobre seu corpo em funcionamento. Forma e função são propriedades inseparáveis. Fazemos corpo, assim como fazemos tecidos somáticos e “psicoemocionais” dentro da nossa história genética, social e cultural. Através dos gestos, o ser humano estabelece uma conversa com seu sistema locomotor, acompanhado de todos os seus conteúdos psicoemocionais. Cuidar do gesto, aprimorá-lo, refiná-lo é cuidar da expressão singular da pessoa humana, dentro de seu meio, recebendo e respondendo às inúmeras informações que chegam ao centro cerebral através dos sensores somáticos. O conjunto de ações musculares e articulares viabiliza uma variedade de possibilidades motoras, que vão sendo conquistadas ao longo de toda uma existência de um organismo vivo. Descer, subir, torcer, enrolar, esticar, criar esfericidade, fazem parte da cartela de movimentos biomecânicos possíveis de um corpo humano vivo e dinâmico. A educação do gesto é, portanto, uma porta de entrada para uma expressão somática mais saudável e esteticamente mais atraente, afinal eficiência e beleza também são relevantes. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário