terça-feira, 12 de junho de 2012

SER FAZER CONHECER

A vida na sua inteligência quer prosseguir. Nesta refinada tarefa de continuidade, vem se organizando no processo evolutivo, favorecendo os mecanismos cerebrais produtores de consciência. Quando um organismo é capaz de saber da sua existência, a probabilidade de se garantir a gestão da vida de torna mais elevada, aumentando as chances de sobrevivência. A medida em que, os estados de conhecimento puderam ser armazenados e gravados na memória, associando a outros registros do conhecimento sobre a existência deste organismo unificado e identificado, novos processos foram sendo selecionados, para manter a sua sobrevivência. A questão é dar garantia à vida. Com o processo de raciocínio, imagens do conhecimento da existência deste organismo vivo, puderam ser evocadas, refletidas e deliberadas. No continuum evolutivo, foi a consciência que permitiu ao organismo ser conhecedor de si mesmo, conhecedor da sua existência, das suas dificuldades, podendo antever situações, prever possíveis resultados, imaginar futuros e inventar soluções gestoras da vida. Neste momento evolutivo, o organismo já era portador do seu SER e do seu FAZER, mas agora também era possível ter sentimentos que podiam ser sentidos e conhecidos. Portando, ser, fazer e conhecer, são formas selecionadas ao longo do processo evolutivo que fizeram e fazem a total diferença no grande mistério vivo da vida: a consciência da própria existência. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário