quarta-feira, 25 de julho de 2012

MATURIDADE E ENVELHECIMENTO

Entre o nascer e o morrer, há o grande espaço a ser vivido pelo ser humano ao longo de sua existência. Nascimento, crescimento, maturação, para chegar ao final de uma vida com a morte, dentro de um processo inevitável para todos os seres vivos neste planeta, um ciclo natural. No espaço do “entre”, muitas são as experiências que se somam ao conhecimento que a pessoa humana vai adquirindo na sua formação e construção de um sujeito. Crescimento e desenvolvimento biológico, psicológico, social, relacional, espiritual, dentro dos ambientes, das culturas, dos territórios, nos encontros, os seres humanos seguindo o projeto do vivo, desde a formação da primeira célula, segue rumo à sua maturidade, até cair da “árvore da vida”. Este é o processo natural. Considerando a sua formatividade, este processo deveria seguir na direção da maturidade biopsicossocial do ser humano, do desenvolvimento corporal ao desenvolvimento psicológico, que poderíamos chamar de maturidade. O envelhecimento é a fase da vida onde a pessoa humana experimenta somaticamente as limitações naturais do processo degenerativo e também a sua capacidade de conectar com a sua realização pessoal, a sua humanização. O adulto maduro é aquele que adquiriu experiência e conhecimento, que lhe permitiram ampliar o seu olhar para considerar a vida de forma mais abrangente, na capacidade de compreensão amorosa, compassiva, onde o altruísmo fala mais alto que o egoísmo da criança nas fases iniciais da vida. Ocorre que, muitas pessoas se negam a considerar este processo e resistem em se manter infantis, sustentando sua infantilidade birrenta, egóica, onde o seu “eu” insiste em ser o centro do mundo. Triste realidade! Envelhecer sem maturidade é viver um tempo de finalização no sofrimento e pior, fazendo seu entorno sofrer. O adulto maduro, que segue naturalmente para seu envelhecimento, alimenta a sabedoria altruística e com ela nutri seus sonhos, sua vitalidade, seu potencial, sua compaixão, sua capacidade de reconhecer que somos todos filhos e filhas da mesma Terra Pátria. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário