sexta-feira, 6 de julho de 2012

RÍTMOS - COMPREENDER PARA AJUSTAR

Vida é ritmo. Pulsos de contração e dilatação, expansão e recolhimento, que mantém a vitalidade de todos os organismos vivos, do micro ao macro. São organismos dentro de organismos, nos diversos sistemas, por onde a vida flui através de canais interconectados. A vida passa mantendo seus ritmos em equilíbrio permanente. Quando há uma pequena alteração no processo, os ritmos também se alteram comprometendo a saúde do organismo. Assim acontece nos corpos dos seres vivos, no grande corpo do mundo natural, como corpo da rede relacional entre todos os seres. Dentro deste macro sistema, muitas são as formas relacionais, da biodiversidade à multiculturalidade. Até aqui tudo parece óbvio, porém o que temos presenciado neste contemporâneo, é um desacordo entre os ritmos dos modelos hegemônicos de desenvolvimento e os ritmos dos ciclos do planeta. Este processo desconectado entre os ritmos biológicos e naturais da vida e os ritmos do sistema capitalista de mercado, na exigência de resultados imediatos que servem exclusivamente ao interesse de grupos detentores de poder, tem comprometido o equilíbrio do sistema vivo. Ajustar os ritmos, é tarefa fundamental para assegurar a homeostase biocultural. A compreensão do processo de contração e dilatação em tudo que o ser humano realiza, é de vital importância. Na biodiversidade, cada ser humano tem seu ritmo próprio, seu próprio tempo de maturidade e esta compreensão é fundamental para a adaptação, porém jamais poderemos desrespeitar os ciclos naturais. Adaptar para gerar as passagens da vida e garantir a homeostase, é tarefa da consciência. Onde está a nossa consciência quando fazemos nossas escolhas na vida? Somos nós adultos capazes de compreensão para adaptação sem perder os ritmos, os pulsos e o grande ciclo da vida? Pensar, refletir, ponderar para agir com respeito e responsabilidade, pode sustentar a continuidade da música orquestrada pela vida. Abraços **** Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário