quinta-feira, 13 de setembro de 2012

JUSTIÇA E DEMOCRACIA


Considerando a brutal desigualdade social em todos os sentidos, chegando  ao desrespeito pela dignidade do ser humano, mais do que discursar sobre  justiça, deveríamos perguntar o que temos entendido por justiça: de que justiça estamos falando? Qual o significado da justiça? Seria a justiça um procedimento legal, que se orienta pelas determinações da lei? Seria justiça sinônimo de retaliação condenatória? Apesar dos grandes avanços da modernidade, ainda estamos aprisionados numa justiça de exclusão. A justiça que se apresenta com a face da inclusão, do debate, da contextualização, para se fortalecer, precisa abraçar a democracia participativa. Justiça e Democracia Participativa caminham juntas, porque se constroem e se articulam juntas. A democracia por meio do debate, tem a capacidade de enriquecer e fortalecer os vínculos pela disponibilidade informacional nos encontros interativos da factualidade. A democracia não se resume às instituições, mas pelas diferentes vozes, dos diversos setores da população, na medida em que de fato possam ser ouvidos. O processo democrático não se resume apenas às eleições democráticas, mas se trata de promover tanto a democracia participativa como a justiça na sua face de equidade. São elas juntas, que poderão inspirar e influenciar ações práticas para muito além das fronteiras, territoriais e relacionais. As pessoas são iguais perante a lei, mas, possuem necessidades diferentes, histórias diferentes, capacidades diferentes, habitam espaços diferentes. Promover a realização pessoal é promover justiça como equidade e democracia como  participação  honesta, responsável e comprometida.
Abraços    ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário