segunda-feira, 3 de setembro de 2012

PAZ - SERÁ MAIS UMA BANDEIRA DE CONSUMO?


Falar de paz em tempos onde a agressividade violenta ronda nossas vidas ferindo nossas relações, amputando nossos sonhos e rompendo nossos vínculos, pode tornar-se uma bandeira bastante interessante para quem quer alimentar mais um item de consumo na lista de produtos disponíveis. Discursos são proferidos clamando em altas vozes nas campanhas, sobretudo as conservadoras e maquiadas com promessas cheias de ideologismos publicitários. São aqueles que tentam iludir com garantias simplistas e falsas, trazendo um  perfume infantilizado mas conveniente. São aqueles que se colocam a serviço de seus interesses pessoais, mas completamente à parte do  bem comum, aqueles que usam a bandeira da paz apenas como um verniz superficial de favorecimentos inescrupulosos. Lugares onde as pessoas pouco ou nada refletem, não pesquisam, não perguntam não se informam, não questionam, acabam sendo terreno facilitador para fertilizar ainda mais a ignorância e a mediocridade. A Paz como um valor que traz consigo respeito, dignidade, responsabilidade, compromisso, honestidade, vividos nas ações do cotidiano das pessoas e dos cidadãos que constituem um povo, não poderia jamais ser deturpada de forma tão violentada. O Sujeito da Paz, o Ser da Paz, aquele que  a tem como valor ético norteador de suas condutas pessoais, tem o dever de se colocar atento preservando em suas ações este  compromisso inegociável. A Paz não pode ser uma bandeira levantada por oportunistas irresponsáveis. A Paz é para ser preservada sempre. Se é ela que almejamos verdadeiramente, em respeito à vida e à dignidade pessoal e coletiva, em respeito às futuras gerações, precisamos agir com total retidão.
Abraços    ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário