segunda-feira, 24 de setembro de 2012

SER ÉTICO


Pensar, refletir, questionar, problematizar, são aspectos fundamentais da convivência humana, nos espaços sociais e pessoais. Perguntas referentes ao comportamento nas diversas instâncias relacionais aparecem com certa frequência: como devo me comportar? Por que devo me comportar moralmente em relação a...? Por que devo ser um sujeito moral? Perguntas que nos fazem pensar e buscar respostas convincentes e adequadas, afinal as situações se transformam, mudam suas configurações exigindo posturas diferenciadas, porém sem subtrair  qualidades como o altruísmo, a responsabilidade, o respeito, os valores éticos que norteiam, garantem e sustentam as relações, a “boa” convivência.  Refletindo com mais clareza, não seria exatamente uma questão de dever para obter, mas de SER, algo que vai muito além de uma racionalidade lógica, mas de uma postura alicerçada numa autonomia. Ser ético é escolha, que se fundamenta em processos internos de compromisso com leis internas e não normas externas, portanto não é uma questão de mando, controle, medo das consequências, mas de uma opção responsável, afinal o humano não existe apenas, mas coexiste e, portanto é corresponsável. Ser ético, não pode estar atrelado a um princípio utilitarista, mas vinculado a um “projeto” pessoal de excelência pessoal.
Abraços    ****
Vivi

Nenhum comentário:

Postar um comentário